A era moderna introduziu um novo marco para os alunos do ensino médio: o primeiro telefone celular de um jovem. Mas qual é a idade certa para ganhar um celular? Como você sabe se seu filho está pronto para essa responsabilidade? E o que você faria se os amigos de seu filho tivessem celulares, mas você não tivesse certeza se eles já estavam prontos?

A verdade é que, como qualquer marco, crianças diferentes estão prontas para os celulares em momentos diferentes. Assim, não existe nenhuma idade que seja o momento certo para seu filho ganhar esse dispositivo. Antes de fazer essa compra considerável, pense nas seguintes questões.

  1. Seu filho é responsável com as coisas dele? Seu filho tende a perder coisas? Ou ele é altamente organizado e confiável? Se seu filho ainda não está pronto para manter o controle de suas coisas, provavelmente não é uma boa ideia dar a ele um dispositivo caro e frágil como um telefone celular.
  2. Seu filho é bom em administrar dinheiro? Lembre-se de que as despesas com o celular não param na compra do dispositivo. Você também vai ter que pagar por dados, minutos e quaisquer cobranças que seu filho possa contrair em aplicativos e jogos. Se seu filho não for bom em respeitar limites e não for bom em administrar dinheiro, provavelmente não está pronto para um telefone celular.
  3. Você considera seu filho socialmente maduro? Durante o ensino médio, a maturidade dos jovens é muito diversificada. Os jovens com desenvolvimento mais típico terão algum nível de maturidade, mas antes disso, normalmente podem não mostrar bom senso em situações sociais. Seu filho tende a ser alvo de bullying? Ou seu filho já sofreu bullying? Seu filho consegue fazer amigos pessoalmente ou a tecnologia o ajuda? Seu filho demonstra bom senso sobre quais informações compartilhar publicamente e quais manter em sigilo? Ter acesso à tecnologia também dá a seu filho acesso a uma quantidade intensa de visibilidade. Certifique-se de que você acredita que ele consegue lidar com isso antes de lhe presentear com um celular.
  4. Quais são suas motivações e as de seu filho para adquirir um celular? A maioria dos pais aceita presentear celulares para seus filhos por razões de segurança. Os jovens, no entanto, têm muitos motivos para querer esses aparelhos. Se seu filho quer se socializar com outras pessoas, esse é um desejo natural nessa idade. Mas se seu filho mostrou sinais de abusar de jogos ou outros dispositivos ou aplicativos eletrônicos, ele pode não estar pronto para ter acesso a eles na palma da mão. Converse com seu filho sobre por que ele quer um celular e veja se você acha que suas motivações e as dele estão alinhadas.
  5. O que outras famílias estão fazendo com relação aos telefones celulares? No final das contas, você é a melhor pessoa para decidir se seu filho está ou não pronto para um telefone celular. Mas se você tem relacionamentos positivos com as famílias dos amigos de seus filhos, também pode conversar com eles sobre quando vão adquirir seus próprios telefones. Programas como o Wait Until 8th (Espere até a 8ª série) capacitam as famílias a trabalharem juntas para adiar a compra de celulares até a 8ª série ou mais.
  6. Para qual modelo de telefone seu filho está pronto? Lembre-se de que o primeiro telefone de seu filho não precisa ser um smartphone. Existem várias empresas que agora produzem telefones flip que basicamente permitem que crianças enviem mensagens de texto e liguem. Isso pode ser útil como um passo para o smartphone: se seu filho conseguir provar que é responsável com um modelo mais simples, então você pode se sentir mais confiante em presentear um smartphone para ele no futuro.

Lembre-se de que é você quem conhece melhor seu filho e está mais preparado para decidir quando e por que ele precisa de um telefone. Crianças diferentes estarão prontas em momentos diferentes, e cabe a você fazer a melhor escolha para sua família.